.cloud-label-widget-content { text-align: left; } .label-size { background: #5498C9; border-radius: 5px; display: block; float: left; margin: 10px 6px 3px 0; color: #fff; font-family: 'Arial',"Segoe UI",Arial,Tahoma,sans-serif; font-size: 11px; text-transform: uppercase; } .label-size:nth-child(1) { background: #F53477; } .label-size:nth-child(2) { background: #89C237; } .label-size:nth-child(3) { background: #44CCF2; } .label-size:nth-child(4) { background: #01ACE2; } .label-size:nth-child(5) { background: #94368E; } .label-size:nth-child(6) { background: #A51A5D; } .label-size:nth-child(7) { background: #555; } .label-size:nth-child(8) { background: #f2a261; } .label-size:nth-child(9) { background: #00ff80; } .label-size:nth-child(10) { background: #b8870b; } .label-size:nth-child(11) { background: #99cc33; } .label-size:nth-child(12) { background: #ffff00; } .label-size:nth-child(13) { background: #40dece; } .label-size:nth-child(14) { background: #ff6347; } .label-size:nth-child(15) { background: #f0e68d; } .label-size:nth-child(16) { background: #7fffd2; } .label-size:nth-child(17) { background: #7a68ed; } .label-size:nth-child(18) { background: #ff1491; } .label-size:nth-child(19) { background: #698c23; } .label-size:nth-child(20) { background: #00ff00; } .label-size a, .label-size span { display: inline-block; color: #fff !important; padding: 4px 10px; font-weight: normal; } .label-size:hover { background: #222; } .label-count { white-space: nowrap; padding-right: 3px; margin-left: -3px; background: #333; color: #fff ; } .label-size:hover .label-count, .label-size:focus+.label-count { background-color: #ff6bb5; }

17 de fev de 2015

Avaliação do Grupo Inclusivass - em 2014


1) Pequeno histórico: o grupo Inclusivas surge de uma articulação propiciada pelo 1º Seminário Mulheres com Deficiência e Políticas Públicas, realizado em março de 2014 em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, quando, ao final, as ativistas e lideranças decidem buscar formas autônomas de construir e implementar sua agenda.
Para colaborar com esse objetivo, a ONG Coletivo Feminino Plural decide apoiar o trabalho do grupo, participando ativamente dos debates, reuniões, encontros, agenda política e institucional, na perspectiva de auxiliar no empoderamento e defender os direitos humanos e a cidadania dessas mulheres. Convida Carol Santos para coordenar esta frente de trabalho.
Durante todo o ano de 2014 este núcleo de trabalho se manteve ativo, fortalecendo identidades em articulação com o movimento de mulheres e de pessoas com deficiência em geral.
Para o ano de 2015 o grupo busca seu fortalecimento e consolidação de uma agenda.


2) Ações desenvolvidas:

a) Seminário das Mulheres com Deficiência e Politicas Públicas – em parceria com Faders e CFP – março 2014
Produtos: Elaboração da Carta das Mulheres com Deficiência e uma articulação entre as mulheres

b) Oficina das Mulheres com Deficiência na CCMQ, em agosto de 2014
Resultados: reformulação da Carta e a definição de entrega
Criação do grupo denominado INCLUSIVASS, a ser composto por mulheres com deficiência e ativistas de direitos da mulher
Criação do Blog das Inclusivass, FanPage
Criação do grupo denominado Inclusivass do blog

c) Entrega da Carta ao governador Tarso Genro e Sec. Politicas para Mulheres Ariane Leitão pelo Grupo Inclusivass em 3 de dezembro de 2014 (dia da Pessoa com Deficiência)

d) Ações de comunicação:

- Entrevistas para o Programa Cidadania da TVE, com Carolina Santos e Fernanda Vicari; reportagem no Jornal do Comércio sobre o tema;

- Elaboração de artigo para o Relatório Lilás da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, por Carolina Santos.

e) Participação na Reunião Diálogos sobre a CEDAW com leitura da Carta, resultando em convite para as Inclusivas integrarem o consórcio nacional.
f) Encontro de Fim de Ano na casa de Carolina para confraternização, avaliação das ações e planejamento.

3) Planejamento (resultante das reflexões de fim de ano)

a) Fortalecer o caráter autônomo do grupo, com iniciativas independentes de governos.
b) Construir um novo seminário para divulgar a agenda e fortalecer a luta das mulheres com deficiência – aprofundamento político, teórico e conceitual.
c) Realizar uma audiência pública na Assembleia Legislativa - preparar denúncias, pedidos de providência ao MP e outros órgãos, sugerir projetos de lei e medidas concretas.
d) Lançar o folder das Inclusivass, com o apoio do Coletivo Feminino Plural.
e) Elaborar projetos de busca de fundos para consolidação do grupo.
f) Como ampliar o grupo, como uma reflexão permanente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado. Obrigado por participar pois sua opinião é importante para eu continuar meu trabalho.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...