7 de jan de 2018

Amiga Sheila (PERUA)

Sheila e Roberth

Ontem limpando a casa me deu saudade de algumas pessoas que passaram na minha vida e que já não estão mais aqui comigo, pessoas que entraram na minha vida para poder me ajudar de alguma maneira, pessoas que me tornei amiga e que tenho um carinho todo especial por cada uma.
Cada uma na sua essência deixam ou deixaram um pouquinho delas  os momentos e as lembranças me fazem agradecer a DEUS e dizer o quando sou uma pessoa abençoada.
Depois deste momento de saudade me veia a ideia de poder falar um pouquinho de cada uma, vou tentar pois são tantas coisas para escrever sobre cada pessoa importante na minha vida e caminhada aos longos destes 17 anos.
Hoje começo com uma pessoa muito especial que conheci dois anos antes de tudo, Sheila morava no Pinheiro quando fui morar lá mesmo contrariada, o que eu faria naquele mato, minha casa era no fim da lomba, ônibus precário e em horários escassos e se caso perdesse a caminhada até a minha casa era de dois quilômetros a pé andando pelo mato e comendo poeira, essa introdução é para vocês terem ideia onde fui parar depois de ter morado a minha vida toda no Cristal com tudo perto e claro na cidade.
Perdida naquele lugar percebi que morava do lado da minha casa duas adolescentes, Sheila e Nani e dois irmãos menores, aos poucos começamos a conversar mas eu me dei bem foi com a Sheila pois não gostava do jeito da Nani e assim foi surgindo nossa amizade.
Que tempo bom esse, mas as gurias não gostavam muito de limpeza e a gente no fim de semana gostava de tomar um vinho, escutar música e dormir na área da casa, mas isso só acontecia se elas limpassem a casa e lá ia eu colocar ordem na casa enquanto os pais delas trabalhavam, era a mais velha da turma.
Coisas de guria sem nada de maldade.
Quando eles chegavam estava tudo brilhando e lembro que seu Satiro que gostava muito de mim, me perguntava se era elas que tinam limpado ou eu, claro eu tinha ajudado na limpeza, o tempo passou fazíamos tudo junto, roupas iguais, banho de cachoeira até uma banda a gente resolveu criar, eu sempre gostei de música e a Sheila gostava e tinha voz para cantar, eu me atrevia a tocar teclado e ela componha as música das banda.
O tempo passou Sheila engravidou, eu fui embora com a mãe e seguimos nossas vidas até o destino nos aproximar novamente só que desta vez com uma tragedia na minha vida, eu comecei a me aproximar delas novamente só que agora sem andar, ia para casa delas já sem o pai delas que havia falecido a pouco, era lá que eu esquecia tudo que tinha me acontecido, adorava ficar perto da Perua (Amanda filha da Sheila) amava essa criança um monte, tudo estava mudado, as gurias casadas, mas elas estavam ali me dando apoio que precisava, me davam banho que era uma festa, com todas elas eu não tinha tempo para lembrar e chorar e assim seguimos, eu e a Sheila ficamos mais unidas e em cada evolução minha ela estava ao meu lado, fazíamos tudo junto, ela ia para minha casa posar, a Amandinha ficava com a mãe dela.
Mas o tempo passou a vida foi dando outros contornos até que um dia ela pede um tempo para mim, fiquei confusa como assim pedir um tempo de nossa amizade, justificava que era um tempo pra ela que não estava bem, mas eu via suas postagens sempre bem e feliz, respeitei seu tempo até ela resolver se aproximar de mim novamente.
Sofri muito com seu afastamento na época eu era totalmente sozinha e ela era a única amiga que estava do meu lado.
Nos reaproximamos e eu parecia uma boba com sua volta novamente.
O tempo foi passando e nossas vidas seguindo comecei a namorar o Hélio e já não fazíamos mais as mesmas coisas de antes mas estávamos sempre próximas uma da outra, as saídas não eram mais frequentes, as idas lá em casa para possar não rolavam mais pois o Hélio estava direto comigo.
Nos falávamos muito por telefone e assim seguimos o fluxo da vida, o tempo passou causando uma distância entre nós, até que descobri que estava grávida do Roberth, ela foi a segunda pessoa que liguei em lágrimas para contar pois ela sabia que este era o meu sonho , mas enquanto eu estava feliz, ela passava por mais uma separação e não entendeu minha felicidade dizendo que ela estava infeliz, logo no momento que eu mais queria ela por perto para acompanhar esta nova fase, quantas vezes dei apoio a ela nas suas separações e quando eu queria dividir este momento com ela, percebo que era mais importante viver o luto da separação deixando de lado nossa amizade novamente.
Preferi respeitar o que estava acontecendo com ela e nos afastamos novamente, não queria passar pelo mesmo sofrimento novamente não desta vez que estava feliz, senti sua falta bastante no começo mas depois passou talvez a magoa tenha me fortalecido, pois ela permaneceu na sua razão durante nove meses.
Infelizmente ela perdeu o momento mais feliz da minha vida que era ver minha barriga crescer, todas acompanharam de perto menos ela.
Ela só se aproximou de mim novamente depois de saber que eu quase tinha perdido minha vida e do filho no parto, nos aproximamos mas sentia que não era mais a mesma coisa e não teria como ser, aquele amor verdadeiro foi perdendo o tesão de ser.
Nesta reaproximação recebo a triste noticia da partida da Amanda meses depois, um golpe muito forte para ela, a única filha nem imagino sua dor, mas desta vez eu estava por perto novamente e pude acompanhar seu sofrimento misturado com força para não mostrar para os outros sua fraqueza.
Amanda foi muito amada por todos, todo seu sofrimento por 15 anos terminaram quando o papai do céu a chamou, a dor ficou em nós mas seu descanso foi eterno.
Ia muito para a casa delas nos primeiros meses de vida do Roberth para elas me ajudarem com as coisas e principalmente poder dormir, foi uma barra ficar sozinha neste momento, mas não quero falar disto pois a magoa com duas pessoas existe e muito forteeeeeee.
Voltando ao foco, mesmo com esta aproximação nunca conversamos para eu poder entender o porque tudo tinha acontecido, levamos as coisas naturalmente mesmo sabendo que existia magoa entre nos.
O tempo foi nos afastando cada vez mais e mais,sentia sua falta, seu apoio, suas palavras,seu sorriso mas fazer o que a vida nos afastou e não fizemos nada para reverter isto.
Percebia que ela já não acompanhava mais as minhas vitórias, compartilhava novas amizades, lugares e o silêncio permanecia, até que que um dia talvez o mais infeliz da minha vida eu leio uma postagem dela que dizia que ela se arrependia das noites que dormiu fora podendo ter ficado com sua filha que hoje descansa no céu, quando li aquilo chorei e me perguntei porque novamente me magoar desta maneira pois a minha casa era o único lugar que ela posava fora, o quanto eu amei aquela criança, doeu e muito ter lido isso.
No fim de ano como tenho feito resolvi  fazer uma limpa no Facebook e tirar as pessoas que estavam ali e já não interagiam comigo em nada que eu postava e ela era uma.
Por mais que eu tenho por ela uma gratidão enorme e amor não poderia me permitir continuar depois daquela mensagem, preferi excluir ela sem culpa nenhuma se era para eu ler estas mensagem era melhor não ter ela.
Infelizmente algumas pessoas não entenderam minha atitude e fui mega julgada por alguns, como que eu ia excluir uma pessoa que tinha feito muito por mim, ingrata etc....,acredito que quando a gente faz algo por alguém a gente não espera nada em troca e muito menos jogar na cara isso, me doeu ouvir isso da irmã dela, espero que ela não tenha falado isso. Assim espero.
Durante estes anos pude retribuir a tudo que foi feito por mim com minha amizade pura e verdadeira, sem mentiras e culpas, hoje não posso nem ir mais na casa da mãe delas por conta disso, sinto falta delas mas amizade para mim ou é verdadeira ou não.
Sou grata por tudo, pelo apoio na hora que precisei, sou grata pelos sorrisos, pelas lágrimas sou grata por tudo que pudemos viver pois se vivemos foi porque nos permitimos, se ela ler este texto um dia não quero ser julgada por expressar o que sinto e vivemos pois não sou uma pessoa de mascarar as coisas e contar somente os momentos bons pois até uma amizade tem seus altos e baixos e com a gente não foi diferente, se eu um dia errei me perdoe pois erramos quando amamos as pessoas.
A vida é feita de momentos e nós vivemos nossos momentos, seremos sempre as PERUAS.
Durante estes anos ao lado dela fui sempre verdadeira em relação a esta amizade e acredito que tudo que é verdadeiro permanece e não enfraquece.
Continuo me dando bem com a mãe dela e sua outra irmã que fez bem em não se meter como a outra vez jogando na minha cara tudo que a Sheila fez por mim.
Quem sabe um dia a gente possa ter tempo para ser, só espero que tenhamos este tempo e se por acaso o tempo não nos permitir nossa amizade estará aqui registrada para todo sempre.
TE ADORO PARA TODA ETERNIDADE!
Estou aqui e continuo a mesma Perua de sempre.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado. Obrigado por participar pois sua opinião é importante para eu continuar meu trabalho.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...