30 de out de 2018

Filme Carol e sua criação.



Capa do Filme Carol com sua identidade visual.

O Filme Carol foi gravado pela cineasta Mirela Kruel em 2015, o filme conta minha história de vida que aos 17 anos de idade fui vitima de tentativa de feminicidio, perdi meu namorado e o monstro se matou logo em seguida.
Mirela teve conhecimento desta história através do Coletivo Feminino Plural, uma organização feminista que atua na defesa e direitos humanos das meninas e mulheres, eu no período estava iniciando meus passos no Coletivo ao lado da companheira Telia Negrão.
A ideia foi apresentada e confesso nunca ter imaginado minha história de vida nas telinhas, uma emoção muito grande para quem arressem iniciava seus passos na luta pelo fim da violência contra as mulheres.
Com a ideia criada e minha aprovação Mirela foi em busca de um edital para ter patrocínio para gravar o filme, foi um período longo até sair o resultado e muitas expectativas, ganhamos o edital e agora o filme Carol deixa de ser uma ideia e se torna realidade, minha emoção não cabia em mim.
Mas sem muita percepção da dimensão deste filme em minha vida e principalmente no trabalho que eu iniciava, o filme foi gravado do dia 09 a 12 de junho de 2015, dias intensos para mim, uma mistura do passado e presente me acompanharam nestes dias, lágrimas, emoção e felicidade me dominaram nestes dias de gravação.
Para mim era voltar ao passado distante de mim há 13 anos, contar esta história em detalhes para a equipe criar o roteiro do filme, tocar na ferida já quase cicatrizada, voltar aos detalhes que eu já nem queria mais ter que lembrar  mas foi preciso, mas tudo isso com uma sensibilidade por parte da Mirela e sua equipe, era uma história forte, uma história de vida de tantas mulheres que sofrem com a violência, era uma história que além da violência carregava marcas e dores pelo corpo.
Cenas como o trabalho do Grupo Inclusivass, direitos sexuais e reprodutivos, maternidade e paternidade, cotidiano, acessibilidade, religião e crenças, dor crônica, desafios, a voz como trabalho, amizades, companheirismo foram produzidas no filme CAROL.
Meu desafio em uma cenas do filme poder dançar, ela me pergunta o que gostaria de fazer e digo quero dançar a musica Flashdance que eu dançava quando era criança e tenho em mente todos os passos desta dança, mais um desafio se inicia ter uma professora para me ajudar, fizemos contato com a dançarina e professora Carla Vendramin, que aceita na hora o desafio de me ajudar, mas estávamos com pouco tempo. 
Três semanas para criar a coreografia e ensaiar, ufaa uma loucura pois o Roberth era tão pequeno e no meio de tudo isso vivia doente, coreografia feita com o apoio da Carla e da Ketlyn.
Hora de gravar a última cena do filme para mim a mais emocionante pois eu me liberto neste momento, é tudo preparado agora com o apoio da querida Rosa Crestana,  Gota D'agua eventos, a pista de dança preparada fico ali sozinha conforme orientação da Carla para poder sentir aquele momento.
A cena é gravada duas vezes apenas para qualquer eventual que acontecesse, eu me sinto livre ao dançar sobre rodas.
Cena gravada seguimos para a cena da noite em que teria meu primo Rodrigo tamboreiro e minha mãe que interpretaria Maria Padilha, sim eu tenho uma trajetória muito grande com a religião desde que o Roberth estava na minha barriga e quando tudo me aconteceu, esta cena seria readaptada para o filme sendo gravada em um cruzeiro no mesmo local.
Minha mãe chega vestida, linda como sempre, meu primo já estava ensaiando com o tambor( para de escrever pois me emociono muito, olho para o lado meu filho brincando com um carrinho e a minha frente o quadro do filme pendurado na parede, tudo muito intenso cada cena deste filme),
a cena é gravada e a Maria Padilha chega, lindo de se ver, eu me emociona naquela hora pois tudo foi preparado com carinho e ajuda de cada pessoa que estava ali, Rosa como sempre disposta, a cena segue com a Maria Padilha que antes vem conversar comigo(para de escrever novamente, muito forte lembrar e o porque da Maria Padilha nesta história de vida), gravamos e vamos para a cena final deste dia, que era gravar na casa de religião da minha tia e do meu primo.
Com uma equipe maravilhosa eu me sentia totalmente segura, pois o filme teve muitas cenas lindas que não foram usadas no filme.
Meu agradecimento a toda equipe e especial a Karine pessoa querida e iluminada.
Este filme é uma versão reduzida do original que conta com legenda em inglês pois o filme tem sido divulgado e exibido para outros países, a versão em DVD conta com os recursos de acessibilidade, o original que tem 26 minutos não está disponível e nem sei que a cineasta ira libera-lo e esta versão não é acessível.
O s formatos reduzidos foram fundamentais para que o filme pudesse concorrer aos festivais e em 2016 concorreu ao Festival de Cinema em Gramando e em 2017 ganhou menção honrosa em um festival em São Paulo pelo tema relevante.

Este filme tem sido trabalhado em diversos espaços pelo Brasil por mostrar a história de vida de uma mulher vitima de violência.

EMOCIONE-SE clicando na imagem abaixo.

https://vimeo.com/152238516?fbclid=IwAR3f44qF7LP3Kj6k8y5Blg2cqMQu72oQUxuHYfEaill0uhx89X3pEu35H1w
Imagem retangular com fundo preto e a palavra Carol escrito el letras garrafais.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado. Obrigado por participar pois sua opinião é importante para eu continuar meu trabalho.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...