.cloud-label-widget-content { text-align: left; } .label-size { background: #5498C9; border-radius: 5px; display: block; float: left; margin: 10px 6px 3px 0; color: #fff; font-family: 'Arial',"Segoe UI",Arial,Tahoma,sans-serif; font-size: 11px; text-transform: uppercase; } .label-size:nth-child(1) { background: #F53477; } .label-size:nth-child(2) { background: #89C237; } .label-size:nth-child(3) { background: #44CCF2; } .label-size:nth-child(4) { background: #01ACE2; } .label-size:nth-child(5) { background: #94368E; } .label-size:nth-child(6) { background: #A51A5D; } .label-size:nth-child(7) { background: #555; } .label-size:nth-child(8) { background: #f2a261; } .label-size:nth-child(9) { background: #00ff80; } .label-size:nth-child(10) { background: #b8870b; } .label-size:nth-child(11) { background: #99cc33; } .label-size:nth-child(12) { background: #ffff00; } .label-size:nth-child(13) { background: #40dece; } .label-size:nth-child(14) { background: #ff6347; } .label-size:nth-child(15) { background: #f0e68d; } .label-size:nth-child(16) { background: #7fffd2; } .label-size:nth-child(17) { background: #7a68ed; } .label-size:nth-child(18) { background: #ff1491; } .label-size:nth-child(19) { background: #698c23; } .label-size:nth-child(20) { background: #00ff00; } .label-size a, .label-size span { display: inline-block; color: #fff !important; padding: 4px 10px; font-weight: normal; } .label-size:hover { background: #222; } .label-count { white-space: nowrap; padding-right: 3px; margin-left: -3px; background: #333; color: #fff ; } .label-size:hover .label-count, .label-size:focus+.label-count { background-color: #ff6bb5; }

29 de ago de 2012

Caminhada do movimento "Basta de Violência contra a Mulher" será no próximo domingo

Convite do evento descrito abaixo.


"Basta de Violência contra a Mulher" será o lema da caminhada que ocorrerá neste domingo (02), no Parque da Redenção, em Porto Alegre. A concentração será realizada em frente ao Monumento do Expedicionário, às 10h30. Dezenas de movimentos e organizações estão sendo contatadas para mobilizar a comunidade para estar presente.

"É inaceitável conviver com esses atos de agressão e morte de mulheres. Convidamos toda a sociedade a somar-se a este movimento", convoca o o secretário do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES-RS), Marcelo Danéris. "É preciso pensar de forma articulada o papel da sociedade e do Estado no enfrentamento desse problema. Há urgência social por uma resolução."

A atividade foi inicialmente proposta pelo CDES e pela Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres (SPM) durante reunião extraordinária na última segunda-feira (27), mas está recebendo a adesão de vários segmentos e terá outros encaminhamentos. "Queremos enfrentar esse problema latente com coragem e responsabilidade para superar os padrões culturais de uma sociedade patriarcal e machista", declarou a secretária de Políticas para as Mulheres, Márcia Santana.

Femicídios neste ano já superam 2011
Em todo o ano de 2011 foram assassinadas 46 mulheres. De janeiro a agosto deste ano o número chega a 50, revelou a coordenadora das Delegacias de Atendimento à Mulher, Nadine Anflor. Um diagnóstico realizado pela Secretaria de Segurança Pública nos primeiros cinco anos da Lei Maria da Penha (agosto de 2006 a agosto de 2011) apontou o assassinato de 327 mulheres, enquadrado como femicídio pela terminologia da nova lei.

"É mentira que em briga de marido e mulher ninguém mete a colher. É preciso envolver a família, amigos, colegas de trabalho, parentes e toda a rede de relações das pessoas que sofrem violência para monitorar e denunciar situações de abuso e violência doméstica para alterar este quadro que machuca toda a sociedade", disse Danéris.

Onde procurar ajuda em caso de violência
Em caso flagrante, primeiro acionar a Brigada Militar (Disque 190). Para entrar em contato com a Rede de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres, deve-se acessar o Escuta Lilás, ligando             0800 5410803      , que é o número de utilidade pública do Centro de Referência da Mulher (CRM/RS), ligado à SPM. É possível também ligar para o 180.

Por telefone ou presencialmente, assistentes sociais, psicólogos e advogados do CRM/RS orientam as mulheres em situação de violência sobre seus direitos e sobre os serviços disponíveis para o atendimento de suas demandas. A rede é composta por delegacias, casas-abrigo, Defensoria Pública, Ministério Público, juizados, postos de saúde, centros de perícia, centros de educação, reabilitação e responsabilização dos agressores, organismos de políticas para as mulheres, Núcleos de enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, movimento de mulheres e Centrais de Atendimento à Mulher, como o "Ligue 180".
Texto: Stela Pastore
Edição: Redação Secom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado. Obrigado por participar pois sua opinião é importante para eu continuar meu trabalho.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...