.cloud-label-widget-content { text-align: left; } .label-size { background: #5498C9; border-radius: 5px; display: block; float: left; margin: 10px 6px 3px 0; color: #fff; font-family: 'Arial',"Segoe UI",Arial,Tahoma,sans-serif; font-size: 11px; text-transform: uppercase; } .label-size:nth-child(1) { background: #F53477; } .label-size:nth-child(2) { background: #89C237; } .label-size:nth-child(3) { background: #44CCF2; } .label-size:nth-child(4) { background: #01ACE2; } .label-size:nth-child(5) { background: #94368E; } .label-size:nth-child(6) { background: #A51A5D; } .label-size:nth-child(7) { background: #555; } .label-size:nth-child(8) { background: #f2a261; } .label-size:nth-child(9) { background: #00ff80; } .label-size:nth-child(10) { background: #b8870b; } .label-size:nth-child(11) { background: #99cc33; } .label-size:nth-child(12) { background: #ffff00; } .label-size:nth-child(13) { background: #40dece; } .label-size:nth-child(14) { background: #ff6347; } .label-size:nth-child(15) { background: #f0e68d; } .label-size:nth-child(16) { background: #7fffd2; } .label-size:nth-child(17) { background: #7a68ed; } .label-size:nth-child(18) { background: #ff1491; } .label-size:nth-child(19) { background: #698c23; } .label-size:nth-child(20) { background: #00ff00; } .label-size a, .label-size span { display: inline-block; color: #fff !important; padding: 4px 10px; font-weight: normal; } .label-size:hover { background: #222; } .label-count { white-space: nowrap; padding-right: 3px; margin-left: -3px; background: #333; color: #fff ; } .label-size:hover .label-count, .label-size:focus+.label-count { background-color: #ff6bb5; }

26 de jul de 2012

Tribunal de Justiça X Receita Federal.


Tribunal de Justiça.


  Durante muito tempo a pessoa com deficiência era vista como coitadinhos e excluido e sendo assim  nossa cidade não foi construída para nos recebermos e nem a sociedade esta preparada para esta mudança de adaptações mas os anos passaram e começamos a mostras a cara e com isso conquistarmos nosso espaço e o direito de estarmos nos lugares e hoje me deparar com algumas coisas que ainda mostram o mesmo pensamento das pessoas de anos atras me deixa questionar de que de nada adianta existir leis que nos dão o direito de ir e vir se o pensamento continua atrasado.
  Sair de casa para um compromisso com minha amiga até ai é normal mas chegar no local e me deparar não com a falta de acessibilidade mas com a falta de humanidade me fez pensar quem criou a ideia de que toda pessoa com deficiência em particular os cadeirantes e idosos temos que entrar pela porta do lado e não pela principal aonde os demais entram e esta foi a realidade que enfrentamos ao ir no Tribunal de Justiça e nos deparar com aquela enorme escada mas por minha surpresa o funcionário disse que tinha uma entrada alternativa e lá estava ela escondida dos olhos de todos o que para muitos é uma acessibilidade para mim é um constrangimento não ter o direito de escolher como acessar os lugares aonde eu vou e ter que aceitar é complicado mas com bom humor entramos na entrada quase invisível e lá dentro tivemos que andar pelo corredor sem saber aonde estava o elevador porque nenhum funcionário nos deu auxilio ou ao menos nos acompanhou e assim fomos procurando o tal de elevador até que achamos e fomos no nosso destino.


Escadas na entrada.















Placa sinalizando o local de entrada.


   Depois de termos feito nossas coisas por coinsidencia um guarda se ofereceu para nos acompanhar até a saída e eu já aproveitei e falei da falta de orientação do local quando alguém entra pela porta do lado e ele me prometeu que colocaria indicadores para chegarmos até o elevador e coloquei a situação de ter que entrar pela tal porta e por minha surpresa ouvi a seguinte frase o arquiteto que projetou esta entrada disse que não faria uma entrada na frente do prédio porque iria tirar o designer e ficaria feio imaginem minha revolta na hora e perguntei á ele se este tal arquiteto estava lá e por sorte dele não trabalhava mais ali e pergunto o que faz um profissional que estuda durante anos e principalmente vivenciar a evolução na acessibilidade e ter este tipo de pensamento  que tipo de profissional é esse que não priva pelo direito de igualdade mas sim pela sua opinião pessoal, talvez esta pessoa não tenha alguma experiência com pessoas com deficiência e se tivesse não teria este pensamento voltado a estrutura e não a acessibilidade é dificil ter como chegar no local mas me deparar com esta situação que ao mesmo tempo não vejo nada de acessivel.
Entrada para deficiêntes.

Receita Federal.
Quando fui na Receita Federal já sai de casa para me defrontar com esta situação mas tive uma grande surpresa o elevador estava ao lado das escadas e me senti por igual e claro um pouco mais chique pois só eu poderia acessar e os demais teriam que subir os vários lanches de escadas, isto sim é acessibilidade e inclusão de igualdade ter o direito de entrar pela mesma porta, claro que depois que entrei me deparei com um palcão de informações muito alto que os funcionários não me viam ali e na hora pensei que a inclusão é um processo lento e continuo.

Elevador.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado. Obrigado por participar pois sua opinião é importante para eu continuar meu trabalho.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...